News

Como a Europa caminha para o desconfinamento

Após longas semanas de confinamento, milhões de pessoas de toda a Europa assistem esta segunda-feira a um relaxamento das medidas de restrição. A população assiste à reabertura de alguns estabelecimentos e ao regresso às aulas em certos países.Em alguns países, este dia marca o regresso às aulas, retorno de algumas atividades e abertura do comércio. No entanto, existem ainda algumas restrições e precauções a manter.

França

Pela primeira vez em quase oito semanas, os cidadãos franceses não necessitam de uma justificação para sair à rua. No entanto, apenas é permitida a deslocação até 100 quilómetros das suas residências. Para viagens mais longas continuará a ser necessário uma autorização e quem volta ao trabalha necessita ainda de uma carta do empregador a confirmar a impossibilidade de exercer à distância.

Os professores das escolas primárias regressam às aulas, apesar de estas apenas aceitarem um número limitado de alunos, dependendo do espaço.

Alguns estabelecimentos – como lojas de roupa, cabeleireiros e livrarias – reabrirão as suas portas, alguns ainda com muitas restrições e fiscalização. Bares, restaurantes, teatros e cinemas permanecerão encerrados.

O desconfinamento não é, porém, uniforme por todo o país.

Existem quatro regiões consideradas vermelhas que continuarão com medidas mais restritas, nomeadamente Paris, onde o vírus ainda circula com muita intensidade.

Os transportes nas horas de ponta serão reservados para quem tiver necessidade de trabalhar e as fronteiras vão continuar encerradas até nova ordem.


Espanha

Na vizinha Espanha, o país europeu com mais casos de infeção por Covid-19, grande parte da população poderá voltar a encontrar-se com a sua família e amigos. Restaurantes, esplanadas e espaços ao ar livre terão luz verde para reabrir, embora com lotação limitada.

Madrid e Barcelona – as cidades mais atingidas pela pandemia – são a exceção e permanecerão sob isolamento. Os habitantes destas cidades terão de permanecer em casa e sair apenas às horas definidas por lei.

Os cinemas e teatros permanecem encerrados e as escolas serão reabertas parcialmente a partir de 26 de maio. A completa reabertura das escolas não está prevista antes de setembro.

Igrejas e mesquitas poderão reabrir a partir desta segunda-feira, mas com uma limitação da lotação.

Itália

Em Itália, algumas das medidas de restrição rigorosas começam agora a ser levantadas. A população pode agora fazer viagens mais longas e visitar a família, apesar de em pequeno número. Visitas a outras regiões do país são ainda proibidas.

Os funerais são agora permitidos com um máximo de 15 pessoas e preferencialmente ao ar livre.

O cumprimento da distância social continua a ser obrigatório, bem como o uso de máscara nos transportes públicos. As escolas permanecerem encerradas até setembro.

Algumas fábricas, escritórios e empresas de construção reabriram a 4 de maio e estabelecimentos como cabeleireiros, salões de beleza, bares e restaurantes apenas abrirão as suas portas a partir e 1 de junho. Museus, bibliotecas e igrejas apenas serão reabertos a 18 de maio.

Reino Unido

No Reino Unido, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou o prolongamento do confinamento até ao final deste mês. “Não é altura para acabar com o confinamento esta semana”, justificou Johnson no domingo.

Até ao momento, apenas a indústria e manufatura têm permissão para regressar ao trabalho já esta semana. O exercício físico na rua será possível a partir de quarta-feira.
O Reino Unido vai impor também uma quarentena obrigatória de duas semanas às pessoas que cheguem ao país do estrangeiro, com algumas exceções, a partir do fim de maio.

A partir de 1 de junho, haverá uma reabertura faseada de lojas e o regresso dos alunos do ensino básico às escolas.

A indústria hoteleira, restauração e alguns locais públicos apenas reabrirão em julho.

Irlanda

As medidas de restrição na Irlanda foram mais rigorosas do que no Reino Unido, com a população autorizada a praticar exercício físico a uma distância até dois quilómetros da sua área de residência.

O país começa a cumprir o plano de cinco etapas para reabrir o país a 18 de maio, com a diminuição e restrições a cada três semanas.

Trabalhadores da construção civil e jardineiros poderão retomar as suas atividades a partir de 18 de maio.

As escolas permanecerão encerradas até setembro. As creches apenas acolherão os filhos de trabalhadores de áreas essenciais a partir de 29 de junho e será estendido a todas as outras crianças a partir de 20 de julho.

Casamentos, batismos e pequenas reuniões sociais serão permitidas a partir de 20 de julho, mas apenas para familiares e amigos próximos.

Lojas não essenciais poderão reabrir a partir de 8 de junho e instalações maiores a partir de 29 de junho.

Alemanha

Na Alemanha, as regras de desconfinamento são decididas por cada um dos seus 16 Estados.

A maioria das lojas têm autorização para reabrir, com medidas suplementares de higiene e distanciamento social. As escolas foram parcialmente reabertas para crianças e alunos que irão a exame. Todas as outras aulas regressarão gradualmente ao longo do verão.

Os jogos de futebol da Bundesliga também devem ser retomados a portas fechadas a partir de 16 de maio. Grandes eventos públicos como festivais continuam proibidos até afinal de agosto.

Bélgica

A Bélgica tornou-se o país do mundo com mais mortes por Covid-19 por milhão de habitantes e a primeira-ministra, Sophie Wilmès, anunciou que o regresso à vida social terá de ser feito “muito gradualmente”.

A maior parte das empresas reabre esta segunda-feira, sujeitas a diretrizes de distanciamento social. Cafés, restaurantes e bares permanecem encerrados e apenas começarão a ser abertos a parir de 8 de junho. O uso de máscara é obrigatório nos transportes públicos.

As escolas reabrirão a partir de 18 de maio, mas não serão permitidas mais de 10 crianças em cada sala de aula.

Holanda

Na Holanda, o primeiro-ministro Mark Rutte apresentou um plano de cinco fases para aliviar as medidas de restrição que entra em vigor a partir desta segunda-feira.

As bibliotecas estarão abertas, assim como cabeleireiros, fisioterapeutas e salões de beleza, mas sempre com medidas de distanciamento. As escolas primárias também reabrirão parcialmente.

Bares e restaurantes poderão abrir os seus espaços ao ar livre a parir de 1 de junho e as escolas secundárias também receberão os seus alunos a partir deste dia.

Os transportes públicos retomarão os horários normais de funcionamento e o uso de máscara é obrigatório nestes espaços.

Áustria

Áustria foi dos primeiros países a relaxar algumas das medidas de restrição. No início de maio, foi autorizada a reabertura de lojas, centros comerciais e cabeleireiros, bem como reuniões até 10 pessoas. Desporto ao ar livre que respeite o distanciamento social é agora permitido.

Restaurantes e cafés serão reabertos a meio deste mês. As máscaras são de uso obrigatório nos transportes públicos e lojas.

Os alunos do último ano de escolaridade também regressaram às aulas logo no início deste mês. Os restantes alunos regressarão em meados de maio.

Dinamarca

Na Dinamarca, o levantamento das restrições começou em abril, com a abertura de cabeleireiros e salões de beleza. O país avança agora para a segunda fase deste processo.

Esta segunda-feira reabrem os centros comerciais, cafés e restaurantes, desde que cumpram as diretrizes de distanciamento social. As reuniões sociais são limitadas a 10 pessoas e as fronteiras continuam fechadas.

As creches e escolas primárias retomaram a 14 de abril e as secundárias reabrem a 18 de maio.

A terceira fase inicia-se a 8 de junho e abrange museus, cinemas, jardins zoológicos e faculdades.Suíça
Na Suíça, esta segunda-feira marca o regresso do ensino primário e médio com o número de alunos por turma reduzido.

Os restaurantes, museus e livrarias também reabrem, mas com condições. As reuniões ou concentrações de mais de cinco pessoas continuam a ser proibidas.

Grécia

As escolas na Grécia reabrem esta segunda-feira para os alunos do último ano.

Depois da abertura de livrarias e cabeleireiros a 4 de maio, esta segunda-feira reabre o restante comércio. Os centros comerciais, cafés e restaurantes permanecem, no entanto, encerrados até 1 de junho.

Polónia

Na Polónia, os hotéis estão autorizados a reabrir, mas todos os turistas estrangeiros estão obrigados a uma quarentena obrigatória de 15 dias.

Lojas, centros comerciais e museus reabriram a 4 de maio com um número máximo de clientes. O uso de máscara é obrigatório até que seja disponibilizada uma vacina.

Suécia

Ao contrário de todos os países europeus, a Suécia adotou uma abordagem mais “relaxada” face à pandemia que a tornou alvo de diversas críticas. Aqui, a responsabilidade de cumprir o distanciamento social era assumido pelos cidadãos, enquanto o Governo manteve a maior parte da sociedade em funcionamento.

Desta forma, os restaurantes, bares, escolas e empresas mantiveram-se abertos até agora. Umas das poucas restrições impostas pelo Governo sueco foi a proibição de visitas a lares e instituições de saúde, assim como reuniões de mais de 50 pessoas.

Noruega

Na Noruega, as aulas recomeçam esta segunda-feira para os alunos entre os seis e os dez anos. Restaurantes e centros de lazer permanecem encerrados até junho.

c/agências

Share:

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.