News

Dicas para dizer ‘adeus’ ao vício do celular em 2018

Os smartphones são quase como uma extensão do corpo humano, atuando como uma espécie de memória externa das pessoas. Porém, mesmo que o uso de dispositivos móveis esteja associado a uma vida mais facilitada, ele também leva a um sem fim de problemas que a médio e longo prazo se tornarão ainda mais visíveis.

A dependência de celulares é uma realidade – muito por conta das redes sociais e do medo de não estar a par de tudo (aquilo a que em inglês se chama de F.O.M.O) – e o impacto na saúde e vida social também, estando mais do que na hora de parar o uso exaustivo destes equipamentos digitais (desenhados cada vez mais para que a pessoa se sinta dependente e necessitada).

Para ajudar quem pretende livrar-se da ‘maldição’ dos gadgets, o antigo funcionário da Google Tristan Harris lista cinco atitudes para dizer ‘adeus’ ao vício do celular já em 2018.

E o primeiro passo a dar, escreve a BBC, é dar menos cor a tela do smartphone, o deixando o mais cinza possível, pois as cores brilhantes são vistas como recompensa para o cérebro, fazendo com que queira mais e mais. E por falar em tela, quanto mais limpo de aplicativos estiver, menor será a tentação. Diz o antigo funcionário da empresa tecnológica que na tela inicial devem constar apenas os apps mais chatos e que não peçam muito tempo de uso, como o calendário, a calculadora, etc. Tudo o que é redes sociais deve ficar bem ‘longe’.

Desativar o máximo de notificações, especialmente aquelas que não são pessoais, é também um passo a dar e que, a curto prazo, irá fazer com que a pessoa se ‘esqueça’ de verificar a cada minuto se tem algo novo no celular.

Uma vez que o smartphone interfere com a qualidade do sono, Tristan Harris recomenda que se mantenha a distância física do equipamento, especialmente no quarto e na hora de ir dormir. Mas, e se o celular precisar carregar? Que seja feito em outra divisão da casa e que seja usado um despertador ‘verdadeiro’.

Por fim, mas não menos importante, Harris aconselha ainda o uso do motor de busca do próprio equipamento, um hábito que faz com que seja escrito o nome do aplicativo que se quer e que vai fazer com que tal seja feito quando é mesmo necessário abrir o app, enquanto ter o logotipo logo à disposição leva ao clique fácil.

 

Share:

Leave a reply