Cotidiano

“Me perdoa, não fiz nada”, disse à noiva antes de morrer

BRASÍLIA | DF – “Me perdoa, eu não fiz nada”. Essas foram as últimas palavras ditas pelo motorista de aplicativo Felype Anderson de Sousa, 22 anos, à noiva, logo após levar quatro disparos nas costas em briga de trânsito, na noite de quinta-feira (11/4), no Itapoã. A jovem com quem Felype ia se casar na próxima segunda-feira (15) estava no carro com ele no momento do assassinato.

Aos policiais da 6ª DP (Paranoá), que investigam o caso, a moça de 18 anos disse que o suspeito de ter disparado contra o jovem, identificado como Alessandro Guerreira Barros, 27, ameaçou o noivo antes de sacar a pistola .380 e efetuar os disparos: “Se você ficar aqui e continuar falando, vai levar uns pipocos”.

Alessandro teria feito a ameaça após se negar a pagar qualquer prejuízo da batida envolvendo os dois motoristas. “Segundo depoimento dela (da noiva), Felype desceu do carro e foi tirar satisfações. Teria dito: ‘Poxa, você bateu no meu carro’. Alessandro respondia que não estava ‘nem aí’”, disse a delegada Jane Klébia, chefe da 6ª DP.

A noiva do jovem, então, chamou o companheiro e pediu para que ele entrasse de novo no carro. “Foi quando ele [Alessandro] veio e disparou quatro vezes contra a vítima”, acrescentou a delegada. Neste momento, ela desceu do veículo, deu a volta e foi tentar socorrer Felype. Foi aí que ele teria pedido perdão à moça.

Share:

Leave a reply