News

Nicolás Maduro foi acusado de matar 8.290 venezuelanos

Luisa Ortega Díaz foi procuradora-geral da Venezuela até agosto de 2017, quando foi destituída do cargo e precisou fugir da ditadura por temer pela própria vida. Três meses depois, ao Tribunal de Haia, a venezuelana fez uma grave denúncia contra Nicolás Maduro, pintando um quadro muito pior do que o temido pelos críticos do bolivarianismo.

 Alegando ter literalmente milhares de provas, Ortega Díaz contabilizou em 8.290 o total de assassinatos cometidos pelo socialismo de Maduro em apenas dois anos e meio. Foram  1.777 vítimas em 2015, outras 4.667 em 2016, e 1.846 apenas nos primeiro semestre de 2017.
Ainda segundo Luisa, Maduro cometeu 17 mil prisões arbitrárias, e centenas de casos de tortura. De acordo com a ex-procuradora-geral, o objetivo do ditador é promover uma “limpeza social”.
Share:

Leave a reply