Cotidiano

Tribunal da Lava Jato condena ex-gerente da Petrobras a 10 anos de prisão

Segundo a revista IstoÉ, o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) julgou apelação criminal do ex-gerente da área Internacional da Petrobras Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos, e manteve, por maioria, sua condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato. A pena foi diminuída em relação à sentença de primeiro grau, passando de 11 anos e dez meses para dez anos, oito meses e 20 dias de reclusão, a ser cumprida em regime inicialmente fechado. Além disso, o tribunal manteve o decreto de prisão preventiva de Xavier Bastos no Complexo Médico-Penal em Pinhais, nos arredores de Curitiba.

O ex-gerente foi denunciado, em junho do ano passado, pelo Ministério Público Federal. Em maio de 2017, ele foi preso na 41.ª fase da Lava Jato.

Segundo a denúncia, o contrato de aquisição pela Petrobras dos direitos de participação na exploração de campo de petróleo na República de Benin, na África, teria envolvido pagamento de propina para ele.

O repasse teria ocorrido mediante transferências em conta secreta mantida no exterior, conforme acordo de corrupção acertado no contrato entre a estatal e a empresa. O ex-gerente teria recebido o valor de US$ 4,865 milhões em uma conta da offshore Sandfield Consulting S/A da qual era o beneficiário final.

 

Share:

Leave a reply