Cotidiano

18 anos para Adriana, esposa do político ladrão

Ao condenar o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) a 45 anos e dois meses de prisão, o juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal, também sentenciou a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo a 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro.

“A condenada Adriana Ancelmo era, ao lado de seu marido, mentora de esquemas ilícitos perscrutados nestes autos”, aponta Brêtas. “Adriana Ancelmo, companheira de Sergio Cabral, integrou o núcleo financeiro-operacional da organização e atuou, essencialmente, na lavagem do dinheiro espúrio angariado pela organização, seja através da aquisição dissimulada de joias de alto valor, amplamente comprovada nos autos, seja através de seu escritório, Ancelmo Advogados, valendo-se clássica modalidade de celebração de contratos fictícios”.

Segundo a denúncia, empresas de consultoria e a banca de advocacia chefiada por Adriana lavavam dinheiro de corrupção obtido pela organização criminosa por meio de contratos fictícios.

Share:

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.