Cotidiano

Antes de morrer, jovem enviou mensagem pedindo ajuda a amiga

Esse é mais um crime de feminicídio, que é o assassinato de mulheres em um contexto de diferença de gênero. Atualmente, só no Brasil, o número de mulheres que morrem ou são violentadas nesta situação é alarmante e demanda conscientização sobre os direitos e liberdades de cada um. No período de 1 ano, entre março de 2016 e 2017, o país registrou 8 casos do crime por dia.

O caso

Patrícia foi encontrada com marcas de tiros. “Na nossa linha de investigação, o principal suspeito do crime é o atual namorado da Patrícia, o Iury. Várias testemunhas apontam que era um relacionamento conturbado. E que eles tinham terminado e voltado, então ele descobriu que ela tinha ficado com alguém, não gostou e passou a ameaçá-la, inclusive com um revólver. Há vários pedidos dela de socorro, reclamando da agressividade do Iury”, disse o delegado Israel Andrade, responsável pelas investigações.

Dias antes do crime, a jovem também havia pedido ajuda à amiga e afirmou que estava com medo que o namorado a matasse.

Conversas no WhatsApp entre Patrícia Aline da Silva e a amiga em Palmas (TO) (Foto: Reprodução/WhatsApp)Conversas no WhatsApp entre Patrícia Aline da Silva e a amiga em Palmas (TO) (Foto: Reprodução/WhatsApp)
Conversas no WhatsApp entre Patrícia Aline da Silva e a amiga em Palmas (TO) (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Câmera de segurança

Iury e Silas aparecem em um vídeo horas antes de a jovem ser encontrada morta. Nas imagens, gravadas pela câmera de segurança de uma padaria, é possível ver que Iury chega à casa de Patrícia acompanhado pelo amigo.

No vídeo, Iury chega dirigindo e desembarca sozinho do carro. Ele chama Patrícia na porta e os dois conversam por alguns minutos até que o homem, que seria Silas, também desce do veículo. Os três ficam no local por mais alguns minutos e voltam para o carro juntos, desta vez com Iury no banco do passageiro e Patrícia no banco de trás.

A jovem parecia tranquila e chegou a abraçar o suspeito durante a conversa. Amigos de Patrícia disseram à polícia que ela usou a mesma roupa durante todo o dia, o que pode indicar que ela não esperava a visita e não estava preparada para sair de casa. O vestido é o mesmo com o qual ela foi encontrada morta.

 Polícia conclui inquérito da morte de Patrícia e ex-namorado e amigo são indiciados por feminicídio

Inquérito policial foi encerrado nesta sexta-feira (24) pela Delegacia de Homicídios de Palmas. Corpo de Patrícia Aline foi encontrado em um matagal no dia 9 deste mês. 
Suspeitos de matar Patrícia Aline são presos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Suspeitos de matar Patrícia Aline são presos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O inquérito sobre a morte da jovem Patrícia Aline dos Santos, de 29 anos, foi concluído nesta sexta-feira (24) pela Delegacia de Homicídios de Palmas. O principal suspeito do crime e ex-namorado da vítima, Iury Italu Mendanha e o amigo dele, Silas Barreira, foram indiciados por feminicídio, com os agravantes de ser por motivo fútil e de ter havido dissimulação de provas. O documento agora será encaminhado para o Ministério Público Estadual.

Eles também devem responder por porte ilegal de arma de fogo.

Patrícia foi assassinada com três tiros. Segundo o delegado Israel Andrade, responsável pelas investigações, foram dois disparos na cabeça e um no abdômen. As informações estão presentes no laudo feito pela perícia.

Ainda segundo o delegado, não há sinais de que a vítima tenha sido estuprada e não havia outras lesões pelo corpo. Patrícia Aline foi encontrada morta em um matagal no dia 9 de agosto, perto de um shopping, na quadra 107 Norte, em Palmas.

Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em matagal na zona norte de Palmas (TO) (Foto: Arquivo Pessoal)

O ex-namorado da vítima, Iury Mendanha, está preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas junto com Silas Barreira, que é suspeito de envolvimento. Dias antes do crime, a mulher pediu ajuda para uma amiga pelo WhatsApp, afirmando que o namorado queria matá-la.

 Mendanha e Barreira foram presos em Campos Lindos, no norte do estado, na semana passada. Em um vídeo feito pela polícia, Mendanha aparece confessando ter matado a ex-namorada. Ele diz que cometeu o crime após uma traição e ainda detalhou como agiu.

O advogado de Silas Barreira, Francisco Pinheiro, disse que o cliente teria apenas auxiliado o amigo a fugir. A defesa de Iury ainda não se manifestou sobre o caso.

Patrícia morava em Palmas há cerca de um ano e trabalhava como consultora de beleza. O corpo da jovem foi enterrado em Serrana (SP) no dia 11 de agosto.

Suspeito confessou crime durante conversa com policial
Share:

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.