Cotidiano

Cidadania vai ao STF e tenta derrubar decisão de Nunes Marques sobre cultos e missas

Segundo o presidente nacional da legenda, ex-deputado Roberto Freire, a decisão do magistrado foi ‘equivocada e irresponsável’

O Cidadania entrou neste domingo, 4, com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar derrubar a decisão do ministro Nunes Marques, que no sábado 3 liberou a realização de missas e cultos em todo o país. Segundo o presidente nacional da legenda, ex-deputado Roberto Freire, a decisão do magistrado foi “equivocada e irresponsável”.

Nunes Marques tomou a decisão em caráter liminar e determinou que Estados, municípios e o Distrito Federal não podem editar normas de combate à pandemia de covid-19 que proíbam celebrações religiosas presenciais. A decisão do ministro atende a uma ação movida pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), que alegou violação ao direito à liberdade religiosa e ao princípio da laicidade do Estado.

O magistrado também determinou que sejam adotadas medidas de distanciamento social dentro das igrejas e templos religiosos, com ocupação dos assentos de forma espaçada, obrigatoriedade do uso de máscaras, distribuição de álcool em gel para os fiéis e medição de temperatura do público.

O deputado federal (PSD- MS) disse: “Discordo da decisão do Ministro Kassio Nunes. Permitir aglomerações neste momento de alta transmissibilidade das cepas mais agressivas é um despropósito que coloca em risco a vida de milhares de brasileiros, inclusive daqueles que não frequentam cultos. Erro que pode ser fatal!”

Share:

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.