Cotidiano

Paraguai estuda protocolo para abertura das fronteiras com o Brasil

O governo paraguaio confirmou a elaboração de protocolos sanitários e comerciais com o governo brasileiro para a reabertura da fronteira e também do comercio entre os dois países. O anuncio foi feito pelo ministro   da Saúde, Júlio Mazzoleni, que afirmou que o período de permanência não poderá exceder o prazo de 24 horas.

Segundo o ministro da Saúde, o controle do trânsito de paraguaios e brasileiros será feito pelo Departamento de Migração. O documento está em fase final e será analisado por outras agências e o chefe do MSP espera que isso aconteça “o mais rápido possível”.

Mazzoleni explicou nesta terça-feira em entrevista coletiva que o protocolo sanitário apresentado ao Presidente da República propõe a liberação de espaços de fronteira para o comércio para que as pessoas façam suas compras nos dois países.

Isso seria permitido após um censo especial e a aplicação de sistemas de controle de tecnologia com a supervisão da Direção Nacional de Migração. Além disso, Mazzoleni indicou que nenhuma pessoa com teste positivo para COVID em um período de 14 dias poderá entrar em território paraguaio, o que implica que isso seria recíproco no sentido de que comerciantes brasileiros também poderão entrar no Paraguai.

O ministro da Saúde indicou que isso faz parte da intenção de reativar o turismo de compras com o país vizinho, que está zerado desde o fechamento da fronteira em março passado. Outros detalhes ainda são desconhecidos, embora o ministro tenha dito que o Presidente da República, Mário Abdo, quer que isso seja aplicado o quanto antes. No entanto, ainda deve haver ajustes nos órgãos de controle que fazem parte dessa iniciativa.

A ministra da Indústria e Comércio, Liz Cramer, anunciou também, que as autoridades paraguaias e brasileiras assinarão o memorando de entendimento para a implantação de centros logísticos de fronteira, com o objetivo de reativar o comércio.

O novo acordo permitirá que os brasileiros façam compras on-line em negócios na fronteira com o Paraguai de até US $ 500 sem impostos, valor limite estabelecido pelo Mercosul em acordos anteriores sobre turismo ou regime de bagagem. Os itens comprados seriam retirados dos centros de logística.

Segundo a ministra paraguaia, além de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, o acordo inclui comércios de Ciudad Del Este, Salto Del Guairá, cidade a 20 km de Mundo Novo, também no Mato Grosso do Sul e Encarnación.

Share:

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.