Cotidiano

Reino Unido decide retirar obrigatoriedade do uso de máscara

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou nesta segunda-feira (5) sua intenção de retirar a obrigatoriedade do uso de máscaras anti-Covid na Inglaterra a partir do próximo dia 19 de julho.   

A data marcará o encerramento de praticamente todas as medidas restritivas em vigor para conter a pandemia do novo coronavírus.   

Desta forma, será permitida a reabertura de boates, o relaxamento das restrições a eventos coletivos, além do fim da obrigatoriedade do uso de máscara em locais públicos fechados, exceto em instalações médicas, e do distanciamento social.   

A decisão oficial será tomada no dia 12 de julho, mas Johnson disse estar confiante em poder excluir a possibilidade de adiar novamente o plano de reabertura, apesar do aumento no número de casos causados pela variante Delta.   

“Graças ao sucesso do nosso programa de vacinação, estamos progredindo com cautela em nosso roteiro”, disse Johnson.   

Segundo o premiê britânico, a ameaça da pandemia “está longe de acabar e não será no dia 19 de julho”.   

“Devo frisar que a pandemia não acabou e que estamos longe do fim. Conforme começamos a aprender a viver com o vírus, devemos todos continuar a gerenciar cuidadosamente os riscos da Covid”, ressaltou Johnson.   

Ele reconheceu que até o dia 19 as infecções diárias podem chegar a 50 mil no país e que as hospitalizações e mortes também continuarão a aumentar “infelizmente”, ainda que em ritmo lento devido à ampliação da imunidade garantida pelas vacinas. 

Na sequência, ressaltou que os imunizantes são eficazes, mas não podem eliminar completamente a pandemia e que, portanto, é necessário se inspirar agora no conceito de “risco calculado”.   

“Se não reabrirmos em julho com as escolas fechadas e o clima ameno que expõe menos a população à generalidade das infecções respiratórias, quando faremos?”, questionou o britânico, afirmando que seria pior esperar pelo inverno, quando o vírus retorna “para ter uma vantagem sazonal”.

Na prática, o governo recomendará que cada pessoa decida como lidar com os riscos e opte pelo “bom senso” e “responsabilidade” individual.   

Entre as medidas que serão retiradas também está o fato de que empresas não serão mais obrigadas a manter parte das equipes em trabalho remoto. Já em relação ao uso de máscaras, Johnson continua recomendando a proteção em transportes públicos, em lugares lotados ou ambientes fechados.   

O relaxamento anunciado pelo primeiro-ministro valerão apenas para a Inglaterra. As outras partes do Reino Unido, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte? decidem as regras de forma separada.

*Com informações de ANSA

Share:

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.